Exposição Miracenas resgata parte da história da cidade e de seus moradores

Por Ascom / Em 03/09/2018

           


 

Em 50 imagens, o fotógrafo Paulo Rodrigues apresenta uma visão lúdica

de antigos lugares, paisagens, personagens e costumes de Miracema

 

Com a mostra “Miracenas – a permanência da luz”, Paulo Rodrigues exibe em Miracema, pela segunda vez, parte de seu acervo fotográfico pessoal com mais de 10.800 fotogramas produzidas entre os anos 1970 e 1980 na cidade, onde passou o que considera alguns dos melhores momentos de sua infância e juventude. As fotos ficarão expostas no Centro Cultural Melchíades Cardoso de 7 de setembro a 2 de novembro.

Para esta nova exposição, Paulo Rodrigues selecionou 50 imagens, compondo um mix de fotos até então inéditas e fotos da primeira mostra “Miracenas”, realizada em 1983, durante a VIª Exposição Agropecuária de Miracema.

“Tenho muito material sobre Miracema, que fotografei bastante entre as décadas de 70 e 80, mas continuo fotografando até hoje”. “O que me levou a fazer essa nova exposição, 35 anos depois, foi a vontade de compartilhar um pouco mais desse trabalho. A cidade cresceu muito e escolhi fotos que pudessem mostrar o que permaneceu e o que mudou ao longo dos anos, assim como a história de algumas pessoas que marcaram fortemente minhas lembranças e a história local.”

A mostra “Miracenas – a permanência da luz” será inaugurada no Centro Cultural Melchíades Cardoso no dia 7 de setembro, data especialmente significativa para Paulo Rodrigues. Exatamente nesse dia, sua mãe Lenira Monteiro Ribeiro, miracemense nascida na antiga Fazenda Santa Cruz, se ainda viva, completaria 100 anos. “Foi puro acaso”, conta o fotógrafo, “mas uma coincidência que me deixou muito feliz. Assim, faço da exposição também uma homenagem a ela.”

AS FOTOS DA MOSTRA

Entre as 50 imagens que Paulo Rodrigues selecionou em seu acervo para a nova exposição, estão fotos de tradicionais ‘cartões postais’ da cidade, como a Praça Dona Ermelinda e a Igreja Matriz de Miracema, que se mantiveram preservadas ao longo do tempo. Estão ainda imagens das várzeas de arroz de Venda das Flores, que vieram substituir o cultivo de café, antes intenso em antigas fazendas da região.

Há registros também de locais que fazem parte hoje apenas da memória da cidade, como a Usina Santa Rosa, fabricante das aguardentes Rosinha e Rosa de Prata, da qual restou somente a chaminé e os grandes tonéis de carvalho. Sua represa foi outrora o point de lazer preferido de adultos e crianças. Assim como as margens do Ribeirão Santo Antônio, em cujas águas Paulo Rodrigues lembra ter pescado muitos lambaris.

Entre as imagens que trazem reminiscências de sua meninice e juventude, está ainda a foto do Cinema XV. Nesta sala e na do Cine VII de Setembro, que foram fechadas, ele assistiu a alguns dos filmes mais marcantes de sua vida, como “Os Pássaros”, de Alfred Hitchcock. Estão ainda fotos do Carnaval de Miracema, que já foi reconhecido como um dos mais animados da Região Noroeste do Estado do Rio de Janeiro.

A exposição exibe também imagens de eventos festivos e religiosos, como o desfile comemorativo do aniversário da cidade de 1972, com alunos das escolas públicas locais. Ou a procissão de Corpus Christi de 1977, com fiéis caminhando ao longo de ruas cobertas por ‘tapetes’ de folhas e flores.  

Os moradores de Miracema, mais que os lugares, ganharam destaque especial nos clicks de Paulo Rodrigues. Parentes, amigos, personagens folclóricos da cidade ou simplesmente crianças e adultos que passaram anonimamente pelo foco de suas lentes compõem uma grande galeria de rostos, olhares, sorrisos, posturas e gestos que reproduzem com nitidez antigos hábitos e costumes da cidade, além do então bucólico e alegre ‘modo de viver miracemense’.

Entre os personagens ‘clicados’, muitos já se foram, mas estão ainda vivamente presentes na memória de todos. É o caso de Merência, que defendia as cores azul e branca da escola de samba Unidos no Samba e na Cor e vivia contanto histórias sobre seu namorado Eleotério. Ou de Jorginho, filho da cigana Gicelda, doublé de secretário de turismo e destaque na escola vermelha e branca de Jair Polaca, que tornou o Carnaval de Miracema mais triste quando partiu.

Um desses personagens teve importância especial para Paulo Rodrigues: ‘Seu’ Schueler, dono da Foto Schuler, primeiro a possuir tevê e a fazer uma foto aérea de Miracema. Paulo era frequentador assíduo da loja da Rua Direita, lugar certo para uma ‘boa prosa’. Dessa afinidade e convivência resultou uma amizade com o filho de Schueler, Cleomo, interrompida bruscamente. “Pena que ele partiu tão cedo, pois estava seguindo os passos do pai e seria também, um bom fotógrafo”, relembra.

 

Exposição: “Miracenas – a permanência da luz”

Local: Centro Cultural Melchíades Cardoso – Praça Ary Parreiras, 156

Vernissage: 7 de setembro de 2018, 20 horas

Exposição: até 2 de novembro de 2018, de 2ª a 5ª, das 8 às 17 horas

 

 

Outras notícias